A arte de procrastinar

Procrastinar é uma arte. E assim como toda arte, pode ser feita com cuidado ou sem cuidado algum.

Eu sou uma ótima procrastinadora mas não me considero em tempo total. Quando bate a vontade de fazer, eu faço até demais. Costumo gastar horas planejando desenhos, posts para o blog, janta. E quando não dá mais para adiar, chega o momento de fazer, não é? Nem sempre. Ainda assim da para procrastinar mais um pouco.

A parte engraçada é que na faculdade eu nunca procrastinei. Era a doida que o professor mal passava o trabalho e eu ja chegava em casa para fazer. Tudo porque eu tive a meta (durante os 4 anos, incluso TCC) que meu final de semana era sagrado e que eu não comprometeria os sábados e domingos fazendo trabalho. Mesmo porque fiz moda, era necessário pensar se tinha que comprar algum material específico, planejar, testar, ver se ia dar certo.

Depois de formada, mudou tudo. Quando me empolgo faço qualquer coisa. Mas a arte de procrastinar continua comigo. Eu levanto, faço café, ajudo o marido a se arrumar pra ir pro trabalho e depois que ele vai, pronto, procrastinando até o almoço. Planejo limpar o apartamento, desenhar, escutar música. Mas costumo mesmo é continuar deitada de pijama no sofá com o celular até pensar que chega, esta na hora de fazer alguma coisa. Mas também, quando começo, não paro, é cozinhar, limpar, desenhar e se marcar faço tudo isso ao mesmo tempo.

Deixa eu explicar a parte de como isso é uma arte: tem gente que procrastina tanto que faz o que precisa fazer para poder voltar a procrastinar. Achar seu melhor método de procrastinar é pessoal. Pode ser ficar no Facebook, Instagram, Snapchat, YouTube, até mesmo mandando bom dia no WhatsApp para mil grupos. O meu mal é o Instagram e ando usando mais do que o próprio Facebook (acabei de parar de escrever o post para olhar o Instagram, veja o mal).

Mas pode ser algo bom. Esse “tempo” que você tira para não fazer nada, olhando coisas dos outros, desde que não te esteja fazendo mal, é bom para limpar o cérebro. Limpar as ideias e poder encher a cabeça com outras coisas. No fim eu procrastino para poder ter novas ideias, me inspirando no que outras pessoas postaram.

Pessoalmente, acho uma arte procrastinar. Fico olhando o feed e rindo ou pensando no motivo de certas postagens e continuo rindo (sigo muitas pages de memes). Até que tenho um estalinho e penso, putz, podia desenhar uma coisa x, sendo que eu não estava vendo nada a ver com a coisa x. E aí costumo ir desenhar. Eu não fico procrastinando para adiar, fico para esvaziar a cabeça e ter novas ideias. É usar a procrastinação a seu favor, desde que as coisas fiquem certas para você.

Por uns dias eu evitei o Instagram, então comecei a reparar no por que. E encontrei: eu seguia tantas marcas de cosméticos que gostaria de comprar que cheguei a me sentir mal de olhar o produto sabendo que não tinha como comprar. Solução: unfollow. Me livrei do que me fazia mal e melhorei muito meu feed. E a procrastinação continuou.

Pense em como a procrastinação esta agindo com você. Se te ajuda ou se te atrapalha. Eu consegui fazer dela uma arte inspiradora para fazer algo. E você, como age com a procrastinação?

Leave a Reply