Materiais de Desenho #1

Pensei em deixar um pouco de material escrito no blog sobre materiais de desenho. Além de falar sobre isso no meu canal do youtube, pretendo fazer uma série de posts sobre materiais. Essas dicas de material e usos são minhas, e esse conteúdo era da minha apostila de desenho do curso de tatuagem da Angels Tattoo quando eu dava aula por lá. Conteúdo e opiniões são minhas, e se você quer adicionar ou falar algo, vamos bater um papo! Adoro conversar sobre materiais, além de procurar e descobrir novas possibilidades.

Os materiais abaixo são os mais básicos, podendo até ser chamados de materiais de iniciantes, mas são materiais básicos, sendo usados quase em todos os desenhos, mesmo que para rascunhos ou rabiscos.

Materiais de Desenho

Papéis

Papés têm uma grande variedade de composição e sõ divididos em gramatura de gramas por metro quadrado. Isso significa que maior o número da gramatura, mais grosso é o papel, fazendo com que ele aguente materiais mais pesados, como tintas. O papel é construído em camadas, e o modo certo de pintura/desenho é depositando o material em todas as camadas suavemente, para evitar linhas que não apagam ou marcas deixadas pelo lápis de cor.

O papel pode ser de celulose, alcalino ou básico, com adição de materiais especiais, como algodão. E o papel também pode ser exclusivo de fibras, como algodão, linho, rayon, entre outros.

As fibras sugam materiais molhados, sendo indicados para aquarelas e guaches. A gramatura do papel começa no 30 e vai até 500 (normalmente, mas existem bastante exceções, principalmente em papéis para aquarela). As gramaturas mais comuns são 75 g/m² (papel sulfite), 120 g/m² (Canson escolar) e 224g/m² (Canson universitário). Existem também papéis com base alcalina, como os indicados para trabalhar com caneta marker, que não suga a ponta da caneta, fazendo ela durar mais.

Grafite (lápis e lapiseiras)

O grafite, material base de lápis e lapiseiras, é dividido em duas famílias, H e B. H é o grafite duro, onde o traço parece mais apagado, e o B é o grafite mole, com facilidade de traço escuro. Ambas famílias variam do 1 ao 9. Assim, 9H é o grafite mais duro encontrado em lápis, e 9B é o mais mole.

As lapiseiras são divididas em número ímpar, com abertura em milímetros. Existem a 0.3mm, 0.5mm, 0.7mm e 0.9mm. E utilizam grafite em bastão, que geralmente são 2H, H, HB e 2B mas encontra-se outros tipos de grafite para lapiseira.

Caneta Nanquim

As canetas nanquim podem ser as descartáveis ou recarregáveis. As descartáveis, facilmente encontradas, são divididas por milímetros, que vão do 0.03 até 1.5mm. Geralmente são na cor preta. As canetas nanquim utilizam uma agulha interna em milímetros que especifica qual tamanho vai ser a ponta (essa agulha é trocável). A diferença entre a recarregável e a descartável é que a descartável não tem como colocar mais tinta, sendo descartada quando a tinta acabar. A recarregável é inteira desmontável, podendo ser recarregada e trocada qualquer parte que acabar dando problema. Tem que ser recarregada com tinta nanquim ou tinta de escrita.

Borrachas

Feitas de goma dura ou mole, que apaga grafite e alguns outros materiais, dependendo do papel usado. Além da borracha dura comum existe um outro tipo chamado limpa-tipos, uma borracha mole que parece massinha e que é usada dando batidinhas na folha (não arrastando ela, dando suaves batidas mesmo) para retirar o excesso de grafite. Usada para limpar o desenho para passar caneta nanquim ou aquarela.

Algumas borrachas especiais de algumas marcas também conseguem apagar canetas hidrográficas, ainda que ás vezes ela acabe com o papel junto.

Borrachas também podem ser encontradas em formato de caneta, de lapiseira e com variados tamanhos, desde grande até pequeno e ultra fino, como a borracha da Tombow japonesa.

 

O que acharam das dicas? E quais são os seus materiais de desenho favoritos? Comenta aqui! E a lista continua nos próximos posts, clicando aqui

Deixe uma resposta