Uma reflexão sobre o passado

Esse post nasceu como uma reflexão enquanto eu estava lendo o livro do mês do clube do livro Infinistante. Mostre Seu Trabalho (Austin Kleon) começou a trazer grandes questões sobre como eu me comportava nas redes sociais, ja que eu sou esse misto de pessoa e artista. Esse ainda não é um texto sobre o livro, mas sim uma reflexão de quem eu era, de quem eu sou e de como queria estar.

Resumindo, eu era uma leitora ávida, com aqueles projetos loucos de “1 livro por semana durante 1 ano” e o máximo que cheguei perto disso foram 37 livros em 1 ano, la atrás em 2010. Considero um grande passo mas aí eu me pergunto: o que aconteceu com essa leitora? O que aconteceu de 2011 a 2017 para que eu simplesmente esquecesse essa vontade de devorar livros?

Aí começam as desculpas. Em 2011 eu trabalhava e fazia cursinho. Em 2012 comecei a faculdade. Em 2013 era faculdade e trabalho. Em 2014 era a vida louca de ir e voltar de campinas a sp (130km) todo dia e pra ajudar eu sinto enjoo de movimento então não consigo ler em ônibus. E começo de namoro. Ja 2015 foi o inferno astral chamado TCC. E fecho as desculpas de 2016 e 2017 com trabalhar e chegar tão cansada em casa que eu só queria dormir. Plus, sou cinéfila, então eu ia quase todo final de semana no cinema.

E aí vem a reflexão se eu ainda quero ser essa pessoa leitora, cheia de livros. E a resposta é sim, eu quero ser essa pessoa de novo. Mas pegar o Kindle e ler se prova mais difícil do que ir lavar a louça. Onde foi que meu hobbie favorito virou algo que eu largo de lado tão facilmente? E quem serei eu no futuro? Hoje eu divido meu dia em partes e mesmo assim tem dias em que eu não consigo fazer tudo. Tenho muitas ideias e projetos e vontades e a maior parte do tempo estou assistindo a Netflix. Eu quero ser uma pessoa com hábitos que gosto, e ler é um deles. Como resgatar uma parte sua que você não sabe onde foi parar? Que você perdeu faz anos e a quer de volta?

Eu quero refletir sobre quem quero ser no mês que vem. Mudanças de habito nunca são tarefa fácil. Eu mesma acredito em esforço para se tornado aquilo que se quer ser. Parece um trabalho difícil mas é preciso ser feito. E que de agora em diante eu pare com as desculpas e que faça o que eu mais tenho vontade de fazer: ser eu mesma, sem desculpas. Chega de fazer coisas e me afastar daquilo que eu amo fazer. Obvio que não vou conseguir de repente voltar a ler como uma doida, mas pelo menos o Clube do Livro Infinistante vai me ajudar com uma meta pequena e simples: um livro por mês, lendo com mais pessoas e fazendo resenhas e reflexões sobre tudo isso.

Vamos compartilhar nossas ideias e pensamentos ;D Nem que seja um de cada vez. Sem desculpas e com um belo sorriso.

Deixe uma resposta